Arquivo da categoria: Problemas fiscais de folha de pagamento

Episódio 3: Lidando com as auditorias do IRS (classificação incorreta do trabalhador)

Episódio 3: Lidando com as auditorias do IRS (classificação incorreta do trabalhador)

Legal Thought’s – Episódio 3 de Lidando com as auditorias do IRS (Classificação incorreta do trabalhador)

Coleman Jackson, PC | Transcrição de Pensamentos Legais
Publicadas em 21 de agosto de 2023

DOL Teste de Classificação do Trabalhador | Seguro Horst

Apresentação do advogado:

Bem-vindo ao Pensamentos Jurídicos! Meu nome é Coleman Jackson e sou advogado da Coleman Jackson, PC, um escritório de advocacia tributário, contencioso e de imigração com sede em Dallas, Texas.

Além de mim, temos Leiliane Godeiro – Assistente Jurídica de Contencioso, e nossos administrativos Ernesto Munoz e Michelle Gutierrez.

No podcast “Pensamentos Legais” de hoje, nossa Assistente Jurídica de Contencioso, Leiliane Godeiro, vai me entrevistar em nossa série contínua de impostos federais intitulada “Lidando com o IRS”. No podcast Pensamentos Legais de hoje, o advogado falará sobre a classificação incorreta de um trabalhador como contratado independente, quando o trabalhador deveria ser classificado como funcionário do empregador. Este é o episódio 3 da nossa série de podcasts intitulada Lidando com o IRS. Aqui está lidando com a divisão de auditorias do IRS.

Apresentação do entrevistador ao público:

Olá a todos, meu nome é Leiliane Godeiro e sou Assistente Jurídica de Contencioso no escritório de advocacia tributário, contencioso e de imigração Coleman Jackson, Professional Corporation. Nosso escritório de advocacia está localizado na 6060 North Central Expressway, Suite 620, bem aqui em Dallas, Texas, 75206.

Boa tarde Advogado; obrigado por estar aqui comigo até hoje enquanto eu o entrevisto em nossa série contínua de podcast intitulada; “Lidando com o IRS”.

Neste terceiro episódio da série Pensamentos Legais Podcast Lidando com o IRS de nosso escritório de advocacia, o foco hoje será a classificação incorreta de trabalhadores pelo empregador.

 Advogado, vamos começar.

PERGUNTA 1:  Advogado, explique por que a classificação de um trabalhador é motivo de preocupação para o IRS, para começar?

Entrevistado: Coleman Jackson, Advogado

RESPOSTA DO ADVOGADO – PERGUNTA 1

Boa tarde Leiliane;

Definitivamente, com certeza o Internal Revenue Service está muito interessado em como os trabalhadores são classificados para fins fiscais por todos os motivos que explicarei em alguns minutos. Mas deixe-me apontar desde o início que a forma como um trabalhador é classificado não é apenas uma preocupação do IRS; os próprios trabalhadores devem se preocupar muito com a forma como são classificados; a Texas Work Force Commission também se preocupa com a forma como os trabalhadores do Texas são classificados para fins de legislação trabalhista e tributária; e o Departamento do Trabalho dos EUA e outras agências governamentais federais, estaduais e locais também estão preocupados com a forma como os trabalhadores são classificados por todos os motivos sociais procurados.

Agora, deixe-me voltar para a lei que impõe esse dever de se preocupar com a classificação do trabalhador diretamente sobre os ombros do Internal Revenue Service, que é a agência federal encarregada da responsabilidade de fazer cumprir as leis tributárias federais do país.

Neste podcast em particular; estamos limitando nossa discussão sobre classificação de trabalhadores a questões tributárias federais. Então, deixe-me responder à sua pergunta – por que o IRS deveria se preocupar com a classificação do trabalhador?

Primeiro, o Capítulo 26 do Código dos Estados Unidos dá ao Tesouro dos Estados Unidos e ao Serviço de Receita Interna, que é a agência de execução do Tesouro para supervisionar a aplicação dos estatutos fiscais federais dos Estados Unidos. 26 USC é comumente chamado de Internal Revenue Code.

Em segundo lugar, o Internal Revenue Service (o IRS) é a agência responsável pela aplicação do Internal Revenue Code.

Em terceiro lugar, o Internal Revenue Code, os tribunais e o IRS estabeleceram regras para determinar se um trabalhador é classificado como empregado, empregado estatutário, não-funcionário estatutário ou contratado independente.

Em quarto lugar, há consequências fiscais significativas da classificação do trabalhador para quem contratou o trabalhador e também para o trabalhador.

ENTREVISTADORA: Leiliane Godeiro, Assistente Jurídica de Contencioso

Comentário do entrevistador:  Advogado, parece complicado!

PERGUNTA 2:  Advogado, você pode explicar em linguagem clara o que significam essas diferentes classificações de trabalhadores?

 

Entrevistado: Coleman Jackson, Advogado

RESPOSTA DO ADVOGADO – PERGUNTA 2

Ok, deixe-me tentar explicar estes termos:

Em primeiro lugar, o termo empregado é o teste de características de 20 fatores de direito comum estabelecido pela Suprema Corte dos Estados Unidos em um caso decidido por volta de 1954. empregador desse trabalhador em particular tem sobre os meios, métodos e resultados das atividades dos trabalhadores. O Código do Trabalho do Texas usa esse mesmo tipo de linguagem ao definir o termo ‘empregado’. Os trabalhadores que atuam sob esse grau de controle (ou direito de controle por parte da pessoa que os contrata) são chamados de “Empregados de Direito Comum”. A maioria das pessoas se refere ao ‘funcionário de direito consuetudinário’ simplesmente como ‘funcionário’.

Em segundo lugar, o termo contratante independente aplica-se aos trabalhadores da primeira categoria que não se enquadram na definição de empregado de direito consuetudinário. Empreiteiros independentes exercem controle e independentes não apenas sobre seus resultados, mas também sobre seus métodos e meios de realizar sua tarefa. Empreiteiros independentes podem sofrer perdas monetárias como resultado de seu trabalho; ao passo que os funcionários normalmente recebem o mesmo salário ou remuneração, independentemente de o projeto ou atribuição gerar lucro ou prejuízo.

Em terceiro lugar, o termo Funcionário Estatutário é criado e definido no 26 USC (Seção 31201(d(3)) do IRC como trabalhadores que prestam serviços em quatro áreas ocupacionais principais: (a) certos motoristas que distribuem certas bebidas, produtos alimentícios e outros bens ou produtos, (b) trabalhadores domésticos que são como fabricantes, (c) vendedores ambulantes que distribuem mercadorias para revenda e (d) vendedores de seguros de vida.

Quarto, não funcionários estatutários são criados e definidos em 26 USC (seções 3506 e 3508 do IRC) como certos agentes imobiliários, vendedores diretos e certos trabalhadores de serviços de colocação.

Deixei de fora algumas das complexidades dessas seções do Internal Revenue Code. O mais importante para o nosso público saber é que os trabalhadores estatutários são “empregados”. Eles não são contratantes independentes.

ENTREVISTADORA: Leiliane Godeiro, Assistente Jurídica de Contencioso

Comentário do entrevistador:  Isso com certeza veio alto e claro. O principal é se o trabalhador está devidamente classificado como autônomo ou se deve ser classificado como empregado. Isso você deixou claro! Agora que você entendeu o significado dessas classificações de trabalhadores, está claro para nós. PERGUNTA 3:  Quais são as consequências fiscais significativas de toda essa coisa de classificação de trabalhadores?

Entrevistado: Coleman Jackson, Advogado

RESPOSTA DO ADVOGADO – PERGUNTA 3

As consequências fiscais para as várias classificações de trabalhadores que discutimos são as seguintes:

Primeiro, aqueles que contratam um ‘funcionário de direito consuetudinário’ são obrigados pelo Internal Revenue Code a reter impostos de renda federais, reter impostos federais sobre contribuições de seguro e pagar impostos federais de desemprego sobre salários e remunerações pagas a um funcionário. Os empregadores devem fornecer aos funcionários o Formulário W-2, eles devem enviar o W-2 para a Administração do Seguro Social. Os empregadores também são obrigados a preencher o Formulário I-9 para todos os funcionários e manter os arquivos I-9 de cada funcionário contratado dentro dos dias da nova contratação. Os empregadores também são obrigados a apresentar declarações trimestrais ao IRS (Formulário 941) e relatórios anuais (Formulário 940).

Quanto aos requisitos de relatórios e requerimentos de arquivamento, não há distinção entre um trabalhador classificado como empregado de direito consuetudinário e aquele classificado como empregado estatutário.

O segundo ponto que gosto de destacar é este. Aqueles que contratam empreiteiros independentes normalmente não são obrigados a fazer quaisquer retenções do cheque de pagamento dos trabalhadores. Mas pode haver casos em que as leis federais de retenção impõem ao pagador a obrigação de reter certas porcentagens do contracheque do beneficiário. Mas nunca há uma retenção de imposto fica ou futa ou exigência de pagamento no pagador de um contratante independente. A remuneração do Contratado Independente é normalmente relatada nos Formulários 1099-Diversos e 1099-NEC, conforme apropriado, dependendo do motivo do pagamento. Nenhum relatório é enviado à Administração da Previdência Social sobre pagamentos a contratados independentes. O único relatório arquivado no IRS por aqueles que empregam um contratado independente são os Formulários 1099 que acabamos de mencionar.

Finalmente, quanto aos trabalhadores que estão impedidos de serem classificados como empregados de acordo com as Seções do Código da Receita Federal que mencionei anteriormente, os relatórios para não funcionários estatutários devem ser tratados de maneira muito semelhante aos do contratante independente, que explicarei em detalhes próximo. Nenhum requisito de retenção se aplica em situações normais; mas lembre-se de que, em algumas circunstâncias, as regras de retenção obrigatória de até 30% se aplicam a pagamentos a certos tipos de indivíduos de acordo com a legislação tributária dos Estados Unidos. Aqueles que contratam trabalhadores estatutários não empregados são obrigados a fornecer a eles os Formulários 1099-Diversos e 1099-NEC, conforme apropriado, e arquivar as cópias apropriadas no IRS.

Lembre-se de que deixei de fora todas as exigências impostas pela Lei Estadual para quem contrata trabalhadores. Deixei qualquer discussão sobre isso porque este podcast é limitado a requisitos de impostos federais e consequências para classificação incorreta de trabalhadores.

ENTREVISTADORA: Leiliane Godeiro, Assistente Jurídica de Contencioso

Comentário do Entrevistado:  Com certeza advogado; trata-se apenas de legislação tributária federal; mas, se alguém em nosso público quiser ouvir um podcast sobre as leis tributárias do Texas e como elas se aplicam a empregadores, funcionários ou contratados independentes, sinta-se à vontade para nos escrever, ligar ou enviar um e-mail com sua solicitação.

PERGUNTA 4:

Advogado para encerrar isso. Minha quarta pergunta é esta: o que acontece se o exame do IRS determinar que um trabalhador está classificado incorretamente? Quero dizer, alguém está em apuros?

Entrevistado: Coleman Jackson, Advogado

RESPOSTA DO ADVOGADO – QUESTÃO 4

Não necessariamente. Depende apenas do motivo pelo qual o trabalhador foi classificado incorretamente. Importará se é por engano ou se os trabalhadores foram mal classificados intencionalmente. Existem coisas que o empregador pode fazer para corrigir a situação; e, de fato, há coisas que um trabalhador pode fazer para descobrir se estão devidamente classificadas. Deixe-me começar primeiro com as coisas que um trabalhador pode fazer:

O trabalhador pode apresentar o formulário SS-8 do IRS ao Internal Revenue Service para solicitar uma determinação com base nos fatos e circunstâncias de seu emprego.

Quanto aos que contrataram o trabalhador; o IRS tem vários programas de divulgação voluntária para empregadores que podem ter classificado incorretamente seus trabalhadores. Esses programas podem ser usados ​​mesmo durante o exame de auditoria:

1. O Programa de Liquidação de Classificação Voluntária (VCSP) permite que contribuintes qualificados reclassifiquem trabalhadores como funcionários para fins de imposto de trabalho e recebam uma multa reduzida. O VCSP tem diretrizes rígidas sobre quem pode se qualificar para usar esse tipo de programa de anistia;

2. A segunda válvula de alívio para os empregadores que classificaram erroneamente os trabalhadores como contratados independentes, quando não o são, é chamada de programa de alívio da Seção 530. Este programa criado sob a Lei de Receita de 1978 pode ser invocado pelos contribuintes, mesmo sob exame do IRS.

3. O IRS também possui outros programas de divulgação de posição fiscal que podem funcionar nessa classificação incorreta do espaço do trabalhador.

4. Qualquer empregador que não tenha certeza de como seus trabalhadores devem ser classificados pode perguntar ao IRS preenchendo um SS-8.

ENCERRAMENTO DA ENTREVISTADORA : Leiliane Godeiro, Assistente Jurídica de Contencioso

Advogado, obrigado por estar aqui hoje conosco, esta informação sobre como lidar com um IRS quando a classificação do trabalhador é um problema. Esperamos que nosso público o considere informativo e os ajude a conhecer seus direitos como contribuintes; saiba como proteger seus direitos no caso infeliz de que eles ou seus negócios tenham um exame do IRS envolvendo classificação incorreta de sua força de trabalho como contratados independentes, quando deveriam ser classificados como funcionários. Da mesma forma, os trabalhadores que são classificados incorretamente também sofrem com essa classificação incorreta, seja intencional ou acidental, advogado.

Nossos ouvintes que desejam ouvir mais podcasts como este devem se inscrever em nosso Podcast Legal Thoughts no Apple Podcast, Google Podcast, Spotify ou onde quer que você ouça seu podcast. Todos se cuidem! E volte em cerca de duas semanas, para mais impostos, contratos, litígios e pensamentos legais de imigração da Coleman Jackson, Professional Corporation, localizada bem aqui em Dallas, Texas em 6060 North Central Expressway, Suite 620, Dallas, Texas 75206.

Chamadas em inglês: 214-599-0431 | Ligações em espanhol: 214-599-0432 | Ligações em português: 214-272-3100

CONSIDERAÇÕES FINAIS DO ADVOGADO:

Este é o fim de “PENSAMENTOS LEGAIS” por enquanto

Obrigado por nos dar seu valioso tempo esta manhã e ouvir o Podcast Pensamentos Legais de nosso escritório de advocacia. Este foi o primeiro episódio de nossa nova série de podcasts intitulada Lidando com o IRS. Espero que você tenha gostado do Episódio Três: “Lidando com um exame do IRS sobre classificação incorreta de trabalhadores”.

Se você quiser ver ou ouvir mais sobre tributação, contratos, litígios e Imigração PENSAMENTOS LEGAIS de Coleman Jackson, Professional Corporation. Assine nosso Podcast de Pensamentos Legais no Apple Podcast, Google Podcast, Spotify ou onde quer que você ouça seu podcast.

Fique atento! Estamos aqui em Dallas, Texas, e queremos informar, educar e encorajar nossas comunidades sobre tópicos relacionados a impostos, litígios e imigração. Até a próxima, cuidem-se.

Por que as pessoas que declaram impostos devem ter cuidado ao selecionar um preparador profissional para declarações de impostos – PENSAMENTOS LEGAIS

Coleman Jackson, P.C. | Transcrição do Podcast de Pensamentos Legais
Publicado em 08 de março de 2021

Por que as pessoas que declaram impostos devem ter cuidado ao selecionar um preparador profissional para declarações de impostos

Pensamentos Legais é uma apresentação em podcast da Coleman Jackson, P.C., um escritório de advocacia com sede em Dallas, Texas, que atende indivíduos, empresas e agências de todo o mundo em tributação, litígio e questões legais de imigração.

Este episódio específico de Pensamentos Legais é um podcast em que o advogado, Coleman Jackson está sendo entrevistado por Reyna Munoz, a assistente de imigração da Coleman Jackson, P.C. O tema da discussão é “Por que as pessoas que declaram impostos devem ter cuidado ao selecionar um preparador profissional para declarações de impostos.” Você pode ouvir este podcast clicando aqui:

Você também pode ouvir este episódio e assinar Coleman Jackson, podcast PC’s Pensamentos Legais no Apple Podcast, Google Podcast, Spotify, Cashbox ou onde quer que você possa ouvir seu podcast.

TRANSCRIPT:

Assistente Legal: Leiliane Godeiro
Pensamentos Legais
COLEMAN JACKSON, ADVOGADO E CONSELHEIRO JURÍDICO

Assistente Legal: Leiliane Godeiro

Bem-vindo ao Pensamentos sobre Imigração

  • Meu nome é Leiliane Godeiro e sou a assistente jurídica de litígio da Coleman Jackson, PC, um escritório de advocacia tributário, contencioso e de imigração com sede em Dallas, Texas, Estados Unidos da América. Eu cresci no Brasil e sou fluente em português. Estarei traduzindo do inglês para o português uma entrevista recente do advogado conduzida por Mayra Torres, a associada de relações públicas do escritório.
  • Outros membros do Coleman Jackson, PC são o advogado Coleman Jackson, Yulissa Molina, assistente legal tributária, Reyna Munoz, assistente legal de imigração, e Mayra Torres, associada de relações públicas.
  • Nosso tópico de hoje é: “Por que as pessoas que declaram impostos devem ter cuidado ao selecionar um preparador profissional para declarações de impostos.”

Assistente Legal: Leiliane Godeiro

Questão 1:

Advogado, vamos começar com a maneira mais barata de as pessoas declararem seus impostos para 2020! Que opções existem para pessoas que não desejam pagar um preparador de declaração de imposto profissional? Quero dizer, as pessoas podem apresentar suas declarações de impostos de graça?

O advogado responde à pergunta 1:

  1. Em primeiro lugar, as pessoas sempre podem preparar e apresentar sua declaração de imposto de renda, sem contratar e pagar ninguém.
  2. Em segundo lugar, as pessoas podem acessar IRS.gov e selecionar vários fornecedores de software de impostos de marca que permitirão que certos contribuintes qualificados usem seu software para preparar e arquivar eletronicamente sua declaração de imposto de renda individual de forma totalmente gratuita. Esta opção específica de preparação de impostos gratuitos pode ser uma excelente opção para alguns contribuintes. Normalmente, os fornecedores de software exigem que as pessoas atendam a determinados requisitos de renda, idade e residência estadual. Os requisitos de qualificação individuais dos fornecedores de software podem ser encontrados em IRS.gov. A maioria dos softwares de fornecedores gratuitos está em inglês, mas alguns estão em espanhol. Essa opção de arquivo gratuito é certamente uma opção que os contribuintes devem explorar.
  3. Terceiros podem encontrar clínicas de preparação de impostos gratuitas hospedadas por várias sociedades de contabilidade e jurídicas em toda a comunidade. Algumas igrejas e faculdades de direito e negócios também oferecem consultoria e consultoria tributária de taxas mínimas. As pessoas devem entrar em contato com as escolas profissionais em suas comunidades para saber se os alunos em treinamento em direito tributário fornecem esses serviços à comunidade. Quando frequentei a Escola de Direito da SMU, participei de sua clínica tributária que fornecia serviços gratuitos ou mínimos de controvérsia tributária para alunos matriculados, sob a supervisão do professor da clínica tributária. As pessoas devem fazer pesquisas em sociedades profissionais, escolas e locais de culto para ver o que está disponível.

Então, para resumir; Mayra, como você pode ver, há uma série de opções disponíveis para as pessoas prepararem suas declarações de impostos com pouco ou nenhum custo.

Assistente Legal: Leiliane Godeiro

Este é um excelente resumo das opções de preparação e apresentação de declarações de impostos gratuitas ou de baixo custo que podem estar disponíveis para as pessoas este ano:

  1. as pessoas podem preparar e registrar suas declarações sem usar ninguém para ajudá-las;
  2. As pessoas podem acessar IRS.gov e selecionar um fornecedor de software de marca para preparar e registrar sua devolução se atender aos requisitos de qualificação do fornecedor, e
  3. As pessoas podem procurar um preparador de declaração de imposto de renda profissional gratuito ou de baixo custo em locais de culto locais, ou contabilidade profissional ou sociedades de direito ou clínicas fiscais de escolas de direito locais e escolas de contabilidade.

Questão 2:

Advogado, algumas pessoas não podem se qualificar para um desses serviços de preparação de impostos gratuitos ou de baixo custo. Algumas pessoas simplesmente pensam que os impostos são muito complexos; eles não podem preparar essas declarações fiscais complicadas e querem apenas contratar alguém para preparar a declaração e apresentá-la para eles. Que características e qualificações as pessoas devem procurar ao contratar um preparador de declaração de imposto de renda?

O advogado responde à pergunta 2:

  • Mayra, essa é uma pergunta muito boa, já que as pessoas são responsáveis ​​pela veracidade de sua declaração de imposto, independentemente de prepararem e arquivarem por conta própria ou contratarem outra pessoa para preparar e arquivar sua declaração.
  • Resposta nº 2:
  • Estas são algumas das coisas que as pessoas devem considerar ao selecionar um preparador de declaração de imposto de renda:
  • Indicial de formação educacional em direito tributário e contabilidade tributária. Isso pode ser evidenciado por um diploma da faculdade em impostos, contabilidade, direito, finanças ou algum diploma de negócios relacionados. O preparador da declaração pode ser qualificado apenas com certificados, mas com a crescente complexidade das questões fiscais envolvidas, deve fazer com que os contribuintes exerçam uma triagem mais rigorosa de um preparador da declaração de imposto antes de contratá-lo para trabalhar em sua devolução.
  • Número de identificação fiscal profissional (ou PTIN). O PTIN é uma credencial anual emitida pelo Ministério da Fazenda para profissionais autorizados a exercer a função de preparadores de declarações de impostos na Receita Federal. Para obter um PTIN, um profissional tributário deve ser um advogado em boa situação com uma Ordem dos Advogados do Estado, um Contador Público Certificado licenciado em boa situação com uma autoridade de licenciamento de CPA estadual, um agente inscrito em boa situação com o Internal Revenue Service, ou um preparador de declaração de imposto registrado sob o extinto Programa de preparador de declaração de imposto registrado do IRS. O contribuinte deve procurar esses tipos de credenciamento ao selecionar um preparador de declaração de imposto. Nos últimos anos, a taxa anual do PTIN foi suspensa devido a questionamentos judiciais sobre a tentativa do IRS de regulamentar a prática tributária. O objetivo declarado do IRS ao instituir o programa PTIN era melhorar a integridade e a qualidade da indústria de preparação de impostos. Alguns profissionais da área tributária contestaram essa tentativa na Justiça. No entanto, a credencial PTIN pode ser uma boa métrica para o público usar ao selecionar um preparador de declaração de imposto de renda. O resultado final é este — quando o profissional não possui um Cartão PTIN atualizado; É possivelmente um alerta vermelho brilhante para o contribuinte de que ele pode estar correndo riscos desnecessários ao contratar um preparador de declaração de imposto de renda não qualificado.
  • Experiência na preparação de declarações de impostos é um fator crítico ao selecionar um preparador de declarações de impostos. A legislação tributária muda constantemente de ano para ano e é muito importante que o profissional de declaração de impostos mantenha as competências em direito tributário anualmente. Quanto mais experiência o preparador da declaração de imposto tiver com o tipo de declaração envolvida, melhor. Por exemplo, se você tem contas no exterior, deve pensar muito antes de contratar qualquer preparador de devolução que nunca tenha trabalhado com contribuintes com contas no exterior ou ativos offshore. Ao longo dos anos, nosso escritório de advocacia viu muitos contribuintes que foram gravemente prejudicados por preparadores de declarações de impostos que não os aconselharam e aconselharam adequadamente com relação à contabilidade fiscal adequada para contas e ativos offshore.
  • Resumindo: os contribuintes devem procurar legislação tributária relevante e educação contábil, certificado do IRS Tax Professional PTIN e experiência fiscal relevante para questões tributárias relacionadas à sua situação particular ao selecionar um preparador de declaração de imposto de renda.
  • É muito importante fazer uma seleção sábia ao escolher qual preparador de declaração de imposto de renda contratar, porque os contribuintes podem estar sujeitos a penalidades civis e até mesmo a exposição criminal por imprecisões e declarações falsas materiais e posições fiscais assumidas em suas declarações de impostos e em seus pedidos de reembolso.

Assistente Legal: Leiliane Godeiro

  • Alerta vermelho brilhante! Antes de contratar alguém para fazer sua declaração de imposto de renda, olhe a formação educacional do profissional da declaração de impostos … como onde eles estudaram e onde aprenderam impostos e contabilidade; veja se eles têm uma certificação PTIN profissional de impostos do IRS atual e se eles têm o tipo certo de experiência fiscal para preparar sua declaração de impostos!
  • Se alguma dessas três coisas estiver faltando; é um alerta vermelho brilhante pessoal! Advogado, obrigado por responder minha pergunta de forma tão clara sobre quais características as pessoas devem procurar ao selecionar um preparador de declaração de imposto de renda.
  • Recebi os alertas vermelhos brilhantes, advogado?
  • Questão 3:

Advogado, parece que os contribuintes podem ter sérios problemas com seus impostos se contratarem um preparador de declaração de impostos não qualificado, incompetente ou desonesto.

Existe algum lugar onde um contribuinte possa pedir ajuda quando suspeitar que foi prejudicado por seu preparador de declaração de imposto de renda?

 O advogado responde à pergunta 3:

  • A Receita Federal recebeu autoridade do Congresso para manter a confiança do público no sistema tributário federal. Sob essa autoridade, o IRS mantém comitês consultivos que estabelecem práticas, procedimentos e políticas dos escritórios de supervisão projetados para fazer cumprir os regulamentos que regem aqueles autorizados a praticar antes do IRS. O IRS é obrigado, de acordo com esses regulamentos, a manter uma lista de indivíduos e empresas que foram impedidos de exercer a atividade perante o IRS; lista os praticantes com sanções monetárias e uma lista dos praticantes que, de outra forma, foram sancionados pelo IRS.
  • Além da supervisão do IRS que mencionei; profissionais como advogados e contadores públicos credenciados são responsáveis ​​perante suas respectivas autoridades de licenciamento profissional em seus estados. Esses vários conselhos de licenciamento profissional têm procedimentos de reclamação específicos, nos quais os contribuintes lesados ​​podem registrar uma reclamação oficial.
  • Finalmente, os contribuintes prejudicados pelos preparadores da declaração de impostos também podem recorrer aos tribunais para obter reparação, entrando com uma ação judicial por responsabilidade profissional ou outra ação.
  • Devo alertar aqui que cada posição fiscal assumindo uma declaração de imposto particular não pode atingir o nível de incompetência ou prevaricação por parte do preparador da declaração de imposto. O julgamento é uma parte inerente de ser um profissional tributário. Essa característica intangível de confiança e confiança em seu profissional fiscal não pode ser exagerada.

 Assistente Legal: Leiliane Godeiro

Questão 4:

  • Advogado, existem responsabilidades e penalidades impostas aos Preparadores de Declarações de Impostos que sejam não qualificados, incompetentes ou desonestos?

 O advogado responde à pergunta 4:

  • O Código da Receita Federal impõe uma lista completa de penalidades civis e criminais aos preparadores de declarações de impostos que são incompetentes ou se envolvem em conduta de má reputação. Os nomes e descrições dessas várias penalidades podem ser muito informativos quanto aos objetivos que o IRS está tentando alcançar em termos de proteção do público, proteção da confiança do público no sistema tributário e manutenção da integridade geral do sistema tributário federal dos Estados Unidos. Para não complicar muito isso para nossos ouvintes profissionais sem impostos, deixarei de fora quaisquer referências à seção específica do Código da Receita Federal ou Regulamento do Tesouro onde essas penalidades são codificadas. A maioria de nossos ouvintes provavelmente não se importa em saber a seção do código tributário real e os números de referência do regulamento do tesouro para essas penalidades.
  • Esta é uma lista de alguns dos tipos de penalidades que o IRS pode impor aos preparadores de declarações de impostos. Os contribuintes devem apenas pensar sobre o item da lista e olhar além do que está bem na frente deles para o que o IRS está tentando realizar ao impor essas penalidades a preparadores incompetentes ou aqueles envolvidos em conduta de má reputação:
  • Penalidades cíveis impostas aos preparadores de declarações de impostos pelo não cumprimento dos requisitos de devida diligência para determinar a elegibilidade para certos benefícios fiscais, como crédito de imposto de criança, chefe da família e crédito de renda auferida. Muitas vezes, os contribuintes assumem essas posições fiscais por engano ou com maus conselhos dos preparadores fiscais.
  • Penalidades impostas aos preparadores de declarações de impostos por não assinarem a declaração e penalidades por não fornecerem números de identificação, como PTIN e etc. Mais uma vez, muitas vezes, as declarações preparadas por preparadores de impostos pagos parecem ser auto-preparadas.
  • Várias penalidades impostas aos preparadores fiscais por fornecerem informações falsas ou enganosas ao Departamento do Tesouro ou a qualquer um de seus diretores, funcionários ou agentes.
  • Várias penalidades impostas a preparadores fiscais por auxiliar, aconselhar ou incitar terceiros na violação da lei tributária federal, sugerindo ou auxiliando em um plano ilegal para evitar a aplicação e administração adequada das leis tributárias dos Estados Unidos ou do pagamento de impostos dos Estados Unidos.
  • Os itens três e quatro podem resultar em negligência civil e penalidades relacionadas à precisão civil; e a violação deliberada ou imprudente das leis tributárias dos Estados Unidos pode levar a referências criminais e processo contra o preparador da declaração de imposto e o contribuinte.
  • Penalidades aplicadas ao preparador da declaração de imposto de renda por não entrega ao contribuinte uma cópia da declaração de imposto de renda.
  • Penalidades aplicadas ao preparador da declaração de imposto de renda pela não manutenção de cópia da declaração de imposto de renda preparada
  • Penalidades impostas ao preparador da declaração de imposto de renda por não manter registro de quem preparou a declaração
  • Os itens cinco a sete são projetados para criar um registro contemporâneo e fornecer uma cadeia de responsabilidade. As operações do preparador da declaração de imposto estão sujeitas ao exame e investigação do IRS.
  • Essas são apenas algumas das penalidades que o IRS poderia impor aos preparadores de declarações fiscais incompetentes e àqueles envolvidos em conduta de má reputação.
  • Os contribuintes devem ser cuidadosos quando os preparadores da declaração de impostos superam a promessa, fazem alegações de habilidade para obter certos valores de reembolso ou resultados fiscais, ou procuram negociar cheques de reembolso do contribuinte. Às vezes, os preparadores desonestos afirmam que o contribuinte tem empresas, fazendas e fábricas que o próprio contribuinte nunca soube que tinham. Lembre-se de que você é responsável pelos números e dados em sua declaração de impostos e o IRS irá procurá-lo primeiro para pagar o valor correto de impostos em dia. O preparador da declaração de impostos pode ou não ser responsabilizado. Portanto, uma palavra para o sábio: tenha cuidado ao selecionar o preparador de declaração de imposto de renda.
  • Todas essas áreas de penalidade que mencionei neste podcast devem ajudar os contribuintes a exercerem sabedoria e discrição ao selecionar um preparador de declaração de imposto de renda. Procure profissionais com caráter e experiência, mesmo que custe mais pagar seus impostos. Pode custar mais a longo prazo se você escolher um preparador fiscal incompetente ou envolvido em atos de má reputação.

Assistente Legal: Leiliane Godeiro

Advogado, obrigado por uma resposta tão completa às minhas perguntas sobre características, qualificações e outras coisas que as pessoas devem considerar ao selecionar um preparador de declaração de imposto de renda. Caráter e experiência sempre importam!

Essas são todas as perguntas que tenho agora a respeito de ser sábio e prudente ao selecionar um preparador de declaração de imposto de renda. Parece muito perigoso selecionar a pessoa ou empresa errada para preparar sua declaração de imposto de renda.

Assistente Legal: Leiliane Godeiro

  • Advogado, obrigada por esta apresentação abrangente e informativa sobre a seleção de um preparador de declaração de imposto de renda.
  • Nossos ouvintes que desejam ouvir mais podcast como este devem se inscrever em nosso Legal Thoughts Podcast no Apple Podcast, Google Podcast, Spotify ou onde quer que eles escutem seu podcast. Todo mundo se cuida! Siga-nos para obter mais informações sobre tributação, litígio e imigração em Pensamentos Legais Coleman Jackson, PC, que está localizado bem aqui em Dallas, Texas, na 6060 North Central Expressway, Suite 620, Dallas, Texas 75206.
  • Linha em inglês: 214-599-0431,Espanhol: 214-599-0432,Português: 214-272-3100.

ESTE É O FIM DOS “PENSAMENTOS LEGAIS” POR AGORA

  • Obrigada por nos dar a oportunidade de informá-lo sobre “Por que as pessoas que declaram impostos devem ter cuidado ao selecionar um preparador de declaração de imposto profissional?” .Se você quiser ver ou ouvir mais sobre impostos, litígios e imigração em PENSAMENTOS LEGAIS Coleman Jackson, P.C. Fique ligado! Estamos aqui em Dallas, Texas e queremos informar, educar e encorajar nossas comunidades sobre tópicos que tratam de impostos, litígios e imigração. Até a próximavez e fiquembem.